16 de mar de 2012

0

Amor encapsulado

Não seria incrível ter uma pílula apaixonante?
É, isso mesmo, a pílula do amor instantâneo. Não seria bom você amar alguém e apenas com uma pequena cápsula ela começasse a te amar?
Não. 
O amor, é o sentimento mais puro, mais bonito, o mais doce. Não digo apenas o amor entre um homem e uma mulher, e sim amor de amigos, entre pais e filhos, amor de irmãos.
É um sentimento tão especial que nunca poderia se fazer uma fórmula para ele. No máximo, o que se poderia “inventar” seria um jeito de atrair a pessoa amada, como ja vi perfumes, remédios, simpatias… Mas atração, não é amor. 
O amor é muito mais do que sentir-se atraída pela aparência da pessoa, é muito mais do que simplesmente gostar dela.
Amor é ter necessidade da pessoa, precisar dela como se precisa do ar. Não é ser submissa, ou deixar a pessoa te usar. É querer cuidar, dar carinho. E principalmente respeitar. É querer o bem da pessoa, querer fazer ela feliz, nunca magoá-la.
Mas, voltando a ideia da pílula, depois disso, você realmente acha que poderia se encapsular um sentimento tão grande e maravilhoso? Não. E mesmo se os cientistas dissessem ser possível… O amor não é forçado. Não é uma obrigação e se existisse a pílula do amor instantâneo, não seria amor, pois ele não é um miojo que fica pronto em 3 minutos… Ele leva tempo para amadurecer e tornar-se verdadeiramente amor.
Só quem já amou consegue entender.

0 comentários:

Postar um comentário